Lema de Vida:

Aprender até morrer, morrer sem nada saber!!

domingo, outubro 07, 2007

Prof. Titular

A existência de professores-titulares nunca foi uma coisa que me irritasse mesmo a sério.
Claro que concordo com uma avaliação dos professores mas acho que não seria necessário a separação em dois grupos... até porque ter muito tempo de serviço não significa necessariamente ser melhor professor!!

Esta separação foi levada muito na desportiva, com vénias e risos aos titulares nos primeiros dias de Setembro, até porque na minha escola não são muitos os "perfeitos" que ascenderam a esta categoria.
No entanto, há coisas que "exijo" a estes titulares... (exijo no sentido em que espero deles) e na quinta-feira presenciei uma situação que me desagradou particularmente. Desagradou de tal forma que fiquei "enraivada" com a história dos titulares!

Sala dos Professores: eu agrafo umas cópias para a minha rapaziada na mesa central e, como estou sozinha, não posso evitar ouvir duas titulares que discutem acerca de uma planificação. Discutia-se a diferença entre competências e estratégias, algo que, para mim, não tem dúvidas nenhumas.

Incomodou-me esta conversa na medida em que elas não sabiam do que estavam a falar... e são titulares!

13 comentários:

Avozinha disse...

Cara colega: se vires o que se pedia para ser titular, chegas rapidamente à conclusão que não era necessário saber muito sobre 'a coisa' para lá se chegar...

bell disse...

Também há aqueles que não pescam nada disto e são ministros!
ahahahahah

Professorinha disse...

Estava a pensar exctamente o que disse a Bell.. NEste país não é preciso saber-se de alguma coisa, para se ser alguém. É preciso outro tipo de conhecimento...

Beijos

Estrela do mar disse...

...pois é Aninha...não estou nada dentro do assunto...mas deves ter razão!...e já agora, desculpa a minha ausência...mas ando numa de "artes", no outro blog...mas hoje resolvi colocar as visitas em dia...e que bom que foi vir até cá;)...


Jinhossssss e tem uma linda semaninha.

anna disse...

Pelo menos discutiam uma planificação...
Há quem nem queira saber!
Boa semana.

Girafa cor de rosa disse...

E assim vai a Educação deste país à beira mar plantado, mas começam a surgir cabeças pensantes que se indignam com determinadas atitudes...é bom sinal!

Hindy disse...

Por vezes � assim. Existem os t�tulos mas n�o existe sabedoria...

Beijinho hindyado

Pedro disse...

Plenamente de acordo contigo: idade não é sinónimo de competência!!!

Pedro disse...

Plenamente de acordo contigo: idade não é sinónimo de competência!!!

Pedro disse...

Plenamente de acordo contigo: idade não é sinónimo de competência!!!

Seriamente disse...

Idade não é sinónimo de competência mas também não é sinónimo de titularidade!
A verdade colegas é que também há titulares bem novos! Basta que tenham feito um qualquer doutoramento, enquanto aproveitaram para não dar aulas! Com 30 e alguns anos, já estavam no 8º escalão e daí ao título foi um saltinho!
E Ignorância também não existe só nos novos nem só nos velhos, nos titulares ou nos sem título!
A verdade, verdadinha, é que os menos culpados desta situação que começa já a ser uma "guerrinha" entre os pares, não é nem dos titulares nem dos não titulares!
Ou será? Afinal não teremos sido nós que não fomos capazes de nos unir o suficiente para não deixar passar este "concurso"??????
Pois! Se calhar fomos!!!!!!
Eu sou titular. Não consegui ainda descobrir em que é que isso me fez diferente! Olho-me ao espelho, todos os dias, e vejo a mesma professora que, no ano lectivo anterior, não tinha nenhum título.
Esta é que também é UMA verdade!

Barão da Tróia II disse...

Porreiro já percebeste uma das qualidades para ser titular, ou seja não ver um boi daquilo . Boa semana

fr disse...

A questão inicial está deslocada. Se recuarem um pouco, há uns anos atrás, a formação de professores era feita com outras bases, outros conceitos, centrada nos conteúdos. Depois vieram as chamadas "ciências da educação", que de ciências têm muito pouco, e deslocaram o centro da formação dos professores para as pedagogias e mais recentemente para as competências. Não vou defender as professoras titulares referidas no texto inicial, mas é bem possível, e criticável, que não estejam dentro dos conceitos que orientam os programas actuais. Deviam estar informadas, é um facto. Eu estou informado, mas não sou obrigado a concordar nem com a terminologia, nem com a metodologia de ensino que se quer impor agora. O facto de ser a mais recente, cá em POrtugal, que lá fora é velha, não quer dizer que seja melhor que outras metodologias e outras grelhas coneptuais da pedagogia.
Não tornemos as coisas a preto e branco. Há coisas e boas e más em todas as correntes pedagógicas, mas os conteúdos terão que ser sempre importantes, e não é isso que vejo hoje.
P. S. Podem criticar à vontade. Eu não entro em guerras de titulares contra não-titulares. É absurdo, esse confronto. Mais: estou no 10.º escalão, sou mestre (dos mestrados antigos), tenho um curso de especialização e um doutoramento (dos antigos) e não passei a titular.