Lema de Vida:

Aprender até morrer, morrer sem nada saber!!

sexta-feira, novembro 23, 2007

Que vergonha!

Manda a minha educação que não se deve dizer palavrões... mas %fw%/&%/&%$&%$##"%$#&%


Vou deixar que esta imagem que recebi por mail fale por mim, e vou deixar que vocês digam o que vos vai na alma...


10 comentários:

pa-ciencia disse...

Pois... e depois esperam que os profs façam milagres... e que aconteçam lá para o final do ano ;)

Anónimo disse...

Pois...Cara colega e para palavrões há pimenta na língua!
Cara colega leitor do seu blogue vai para tempos, este post, mostra o tal despero, raiva, alguma desilusão que vai na alma de muitos docentes e que ainda ontem pude verificar num encontro com 300 e tal colegas de profissão! Desabafos inconsequentes, raivas incontidas porque sem qualquer fermento de mudança e, sobretudo incapacidade de abordar as questões com imparcialidade, e a possível objectividade, que o momento delicado e perigoso para os docentes exige! Não, são as mensagens nos nossos mails , muitas delas porcas, ordinárias, indignas de uma classe ( que se pretende assim!) , vindas sabendo d'onde , de muitos que durante anos e anos lutaram pelas causas erradas docentes e que se preocuparam só com as mordomias sindicais aberrantes que tiveram, e que nunca mas nunca apresentaram um projecto de avaliação docente ( satisfeitissimos com a aberração do Relatório Crítico)e que talvez por isso, tenhamos agora este sistema não menos cabotino! Mas não, são os gritos histéricos, "o não ter tempo"( pois não, para muitas docentes têm-no os maridos que não fazem nada - ou fazem, têm sempre muito trabalho-Libertem-se, afirmem-se na sua plenitude de mulheres!) , o colocar a enfase nos médicos ( não sabendo inimamente o que se passa no quintal da medicina - hábito parolo dos docentes-fruto de complexo de inferioridade-os mesmos que aceitam crédito(só para Professores,de determinados Armazéns nos Clérigos) ou aceitam que hajam cartões Conta Ordenado Professor, ou cartões pata ter descontuzinho em espectáculous), ou PPS de má qualidade, ou escritos de uma qualidade inclassificável, pelo Português! Uma Vergonha! Uma forma de escatologia colectiva, uma catarse docente de baixo calibre!
Vanmos ao seu post! Já o conhecia do Blogue do Matias e Alves e aí de uma forma inteligente, o MA, não o classificou, deu-lhe um título inteligentíssimo e quem quiser que pensasse, a colega não! Sem fazer uma abordagem de conteúdo, de serenidade, do estilo de escrita, e sobretudo de ler nas entrelinhas dos erros do texto, indigna-se, quase as mesmas indignações espúrias, baratas de Sala de Professores!
Repare... a colega terá filhos? Sabe é curioso como fui percebendo uma realidade curiosa, quandos os comecei a ter em idade escolar( e tenho três).
A -Sabe ou vai lendo o que os especialistas, ou mesmo menos especialistas vão dizendo sobre os TPC ?
B-Saberá por acaso que em muitos países ( alguns, que os docentes gostam de citar , só porque alguns os citaram), já os aboliram, ou marcaram regras bem definidas?
C- Lembrar-se-á a colega quantas disciplinas têm os alunos no 3º Ciclo, algumas delas, nomeadamente as Áreas Curriculares Não Disciplinares, de uma inconsequência e idiotia gritante, inventada pelos Lobbies dos nossos colegas para dar mais emprego à Classe?!
D- Saberá a colega que muitos TPC nem corrigidos são? E que muitas vezes, nem questionado quem os traz ou não, quando, nem sequer é registado quem não os faz?
E- E , tirando o "angelismo" corporativo, saberá a colega que muitas colegas pura e simplesmente numa arrogância bacoca e prepotência anti tudo, nem se preocupam se os miúdos têm mais TPC de outras disciplinas para os dias seguintes, quando não respondem de forma catedrática " Isso a mim não me interessa"? Não saberá de certeza ! Mas é assim em muitos casos! E os TPC têm sido uma das fontes de maior litígio nas famílias, as tais que depois são apontadas de serem as que na Europa, menos tempo têm para brincar comm os filhos- Pois é que a porcaria dos TPC não deixam!
F- E saberá a colega que a maioria dos TPC são inconsequentes, marcados de livros de fichas, que por vezes, os docentes nem lêm, e que pasme-se até têm erros? E que os alunos , uma boa parte (Olhe bem!) os copiam nos corredores, ou recreios, de quatro, cinco colegas mais afoitos?
E- E saberá a colega que não há, nem a colega me pode provar, uma relação directa entre sucesso na aprendizagem e TPC
F- E já viu ser discutido com inteligência, Cultura, e sobretudo elegância nos órgãos pedagógicos da sua escola, a questão dos TPC ( ou do peso das mochilas, por exemplo?)

Depois a sua indignação com a frase final! Mas...a colega faz-me lembrar uma frase formidável do Marçal Grilo sobre a Classe Docente, usar muitas vezes o "eduquê". Esta Mãe efectivamente não pode nem deve ligar ao TPC, porque não sabe ligar ao TPC, e se calhar, acabou de chegar a casa depois de passar o dia em pé a limpar escadas, ou a passar a ferro, ou a trabalhar numa garagem nas confeccções 10-12 horas seguidas, ou até quem sabe...na prostituição, e perante o recado, irritou-se, ou só os dovcentes podem irritar-se!
Cara colega, o seu post cai na armadilha simples de ver tudo de um lado " A CULPA DE TUDO ISTO É DOS PAIS" e sabe muito bem que não é! É dos Pais, dos Professores, dos Alunos e em última instância de uma sociedade miserável, de um mundo tecnocrático , instável e inseguro em que vivemos, governado pelo vil metal e por essa raça "vil e rasteira" parafraseando Erasmo, que são muitos (issimos) políticos!
Depois, vamos lá ler nas entrelinhas: vamos supor que a mãe era "eduquê" e escrevia : " Agradeço de todo o coração o aviso-tomarei as medidas necessárias" -Ficaria a docente satisfeita? Talvez, mas saberia que em muitos "totozinhos" da classe média, olhe, filhos de Professores, médicos, advogados, bancários, os próprios Pais teriam um comentário jocoso, quando não insultuoso, e que as medidas punitivas seriam um novo modelo de Telemóvel, ou um novo Jogo da X-Box ou uma All Stars novinhas em folha!
Esta mãe é simples, directa talvez no não ligar à escola, mas não me permito afirmar não ligar aos filhos- e quem lhe disse que depois de escrever aquela missiva, não esbofeteou o filho ? A aparência da realidade esconde muitas vezes a realidade! Cara colega, olhe que não é um filho de uma mãe como esta que muitas vezes a manda para o Cara...ou para p.q.a.p ao telemóvel como já ouvi, bem mais do que uma vez, Olhe, acredite que não são filhos de pessoas iletradas e simples, que têm fotoblogues com fotos e frases de um adoronceirismo inacreditável ( mas os papás de média classe, acham qu têm um rebento fabuloso - com 4 e 5, com balet, piano e tudo!)Isto sim preocupa-me, a hipocrisia relacional, os jogos cada vez mais enviesados entre o ser e o parecer, nas relações Pais-Filhos, o cada vez mais afastamento Professor-Pais em ataques infrutíferos, em que uns não conhecem nem as dificuldades da Profissão do outro, nem o outro tem a inteligência para não realizar generalizações apressadas , perigosas e sobretudo securizantes para a sua auto-estima -sol de pouca dura!
Há quem defenda punições duras para os pais que o não sabem ser, mas...cara colega e...punições para os Professores incompetentes que nadam no sistema! Mas quem somos? Avaliamos alunos, Pais e quem nos avalia a nòs?
Cara colega...Imagine que em sites/blogues de Pais, colocava uma página de um Caderno Diário da minha Filha mais velha, em que em exercícios com erros,(TPC) a docente ( mais do que uma vez) colocava o simbolo de V (visto) e C (certo)! Era uma "bomba" não era?
Imagine que mostrava na Web, exercícios marcados tirados de outros manuais, mas que tinham erros de concepção e impossíveis de realizar? Imagine que digitalizava fichas recentes feitos por colegas nossos à mão, e com aspecto mais do que sabujo? Era giro, não era?
Cara Colega, espero nesta altura não a estar a massacrar com este longo post. Gosto do seu Blogue, tem reflexões acertadissimas, comentários a preceito, todavia por vez uma nodoazita estraga o conjunto. Professor vai para 29 anos titular, Coordenador, só não ocupei (com alegria e orgulho-cargos Tutelares Ministeriais!), porque de todas as fontes fui bebendo, entradote PPP ( (Pobre Professor Português), mas enfeitiçado como o caraças por esta "arte-ofício" de ser Professor, mas...também Pai de três filhos e farto desta Guerra sem fim à vista entre Pais e Docentes-às vezes mais artificial do que real, confesso- resolvi dedilhar estas linhas.
è assim que os Professores se entendem , é assim que se deviam entender, pela troca de argumentos, do diálogo, pela construção colectiva começando pelo café da manhã, continuando nos Grupos, DEpartamentos, etc. Porque não há outra hipótese...Ou haverá, o aumento brutal de "burnouts" que não o meu, porque como docente sempre preferi os Burn-in!
Já agora, se quiser consultar o meu blogue, onde alguma coisa de docência vou debicando, aí vai
http://existenteinstante.blogspot.com/
Existente Instante

Fátima disse...

Jesus! O que é isso? Um testamento?
Concordo com você,Ana, só muda o endereço. Nunca tive muito tempo para ajudar meu filho nos trabalhos de casa, mas nem por isso tirei razão de professor!
Abraços.

Professorinha disse...

Olha, se eles não querem que o filho trabalhe, paciência... já não podemos fazer nada...

Venho também agradecer as tuas palavras de conforto.

Beijos

caditonuno disse...

testamento ou campanha política... diria eu.

assim vai o mundo da escola, com pais que nao sabem escrever a julgarem-se mais espertos que os outros. é verdade que nem todos podem ajudar os filhos e que outros nao sabem como fazê-lo por mais que queiram, mas alguém mandar 1 recadinho destes dá um óptimo aspecto, não?

Abelhinha disse...

A minha filha ainda anda no JI pelo que ainda não tem TPC.

Eu tive uma professora que mandava uma carrada de TPCs, que a minha mãe, também professora achava um exagero. Nunca tive tempo de fazer tudo o que ela mandava para fazer porque a escola era muito longe de casa... no entanto, a minha mãe nunca desautorizou a colega à minha frente, nem com o meu conhecimento.

Aquela criança vai saber sempre que tem as cosast quentes pelo desinteresse dos pais...

Penso eu de que...

(ah e eu disse um palavrão quando acabei de ler...)

Pekenina disse...

Eu ainda sou muito novata nestas coisas do ensino visto que tou em ano de estágio mas gostaria de deixar a minha opinião. De facto o que a pessoa que escreveu aquele texto enorme(que não tive paciencia para ler ate ao fim)disse não parece estar desprovido de lógica. O que penso é que tudo tem a sua lógica, depende da capacidade interpretativa do leitor. Ao ler o post eu apenas senti pena pela filha que ou seguirá os passos da mae ou então não irá muito longe na vida. De facto todos temos o direito de entender as coisas da forma que queremos (ou que nos da mais jeito) e de opinar em relação a isso. Não queiram agora é dizer que a culpa daquela resposta horrorosa é da professora. E visto bem até é. Quem a mandou preocupar-se com o empenho da aluna??? lol

Anónimo disse...

Olá Ana!
Tenho visitado o teu blog e hoje atrevo-me a deixar um comentário...
Desde já peço desculpa por estar a responder a um leitor teu.

Sim,realmente tem razão,"(...)não é um filho de uma mãe como esta que muitas vezes a manda para o Cara...ou para p.q.a.p ao telemóvel(..." é mesmo a mãe que faz isso pessoalmente o filho só agride!
Uma mãe que "acabou de chegar a casa depois de passar o dia em pé a limpar escadas, ou a passar a ferro, ou a trabalhar numa..." envia um recado que pode conter erros, a justificar a ausência dos TPC mas sempre com educação!
Sem mais.
Color - Uma professora, esposa e mãe de 2 filhos em idade escolar(8 e 20 anos)com tempo de serviço suficiente para ser titular mas congelada e que já percorreu o país todo inclusivé o Portugal "profundo" como a maioria dos colegas.
Bj e Bom Ano Novo

joao de miranda m. disse...

Não concordo por aí além com nada do que li.
Essas posições dos Encarregados de Educação não devem merecer à instituição escolar nenhum tipo de desassossego. A instituição deve preocupar-se com os erros que ela própria comete e não viver empolando as parvoíces que vêm de fora dela.
Não há milhares de professores a dar erros ortográficos e de construção? Não há milhares de Professores a avaliar mal os Alunos, simplesmente porque nunca souberam como se avalia, e nem sequer reflectem sobre esse acto? Não há milhares de professores tagarelas e básicos nas suas posições? Não há milhares de Professores cientificamente incompetentes nas suas próprias áreas, ainda que creditados por mestrados e não sei que outros suplementos de formação? Deixem os pais serem parvinhos e mal-educados. Eles não têm as responsabilidades que nós temos.
Aprimoremos primeiro os nossos comportamentos, reflictamos sobre o que fazemos e teremos então direito a invectivar os outros pelas suas posições medíocres e tontas. E isto incluirá, então, não só os Encarregados de Educação, mas também os Teóricos da Educação, e as respectivas tutelas.

joao de miranda m.

tia Glória disse...

Já conhecia isto à algum tempo. Para além de professora sou mãe. Quando as minhas filhas frequentavam o 1º ciclo, em reunião de pais, foram-nos explicadas as normas da instituição que elas frequentavam relativamente aos trabalhos de casa e contrariando.as, as professoras deixaram-nos optar se queriamos ou não que os nossos filhos fizessem os trabalhos. cada EE fez a opção que entendeu, no meu caso optei pelos tpc, pois continuo a achar que é a melhor maneira de rever a matéria que foi dada. Não me arrependo, pois neste momento tenho as minhas filhas no 2º ciclo e no secundário, adquiriram hábitos de trabalho e foram sempre as melhores alunas dos respectivos anos.
A mãe que enviou esse recado, se calhar devia ser elucidadada que não necessita ajudar o filho a fazer os trabalhos, basta controlar para ver se são ou não realizados. Eu como mãe praticamente nunca as ajudei, pois chego sempre tarde a casa, tal como a maioria das mães, e quando chego a maior parte dos dias estou tão cheia de aturara alunos que não tenho tempo para os tpc delas. Só pergunto se foram ou não feitos.
Possivelmente nós professores deveriamos elucidar os pais para quão importante é os alunos sentirem que t~em alguem em casa que os controla e que tem autoridade sobre eles.
Desculpem o testamento