Lema de Vida:

Aprender até morrer, morrer sem nada saber!!

sábado, janeiro 20, 2007

Mãe e Pai

Perdoem-me este post mas anda uma raiva a consumir-me...

Talvez seja o instinto maternal a dar sinal ou talvez seja só o bom senso a imperar...

Esta história do bebé de Torres Novas que foi abandonado pelos pais e entregue a um casal aos 3 meses... o pai biológico, ao fim deste tempo todo, lembrou-se que tinha uma filha e ainda pede indemnização!

Só me vem à cabeça aquela história do Rei Salomão (acho eu) que perante duas mães que disputavam uma criança disse:
-Corta-se o bebé ao meio!
A verdadeira mãe respondeu:
-Ela que fique com a criança!

Por isso, o tal senhor está na prisão! É ele o verdadeiro pai...

8 comentários:

maria-joão disse...

E será que pai-biológico existe?
Ou se é pai, ou se é biológico!

Professorinha disse...

Eu pergunto: por que carga de água outro denhor se lembrou que tinha uma filha??? Será que alguém lhe disse que poderia ganhar um dinheirinho com isto????

Beijos

Ivo disse...

Olá Olá!!

Relamente a Toca foi.... mas julgo que já me visitaste no meu outro espaçO!! ;)

Julgo eu!!
Obrigado e Bom FIm de Semana!!
Bj

Pedro disse...

Este caso tem muito que se lhe diga. Mas, não há nada como saber os contornos de toda a história para podermos ter uma opinião fundamentada.
No entanto, e já que estamos em tempo de referendo sobre o aborto, penso que se deve elogiar a atitude daquela mãe que não abortou e decidiu ter a criança para depois a dar para adopção.
Um bom exemplo de como a liberalização do aborto deve ser impedida.
Abortar não é solução...

TsiWari disse...

Temos um país onde não se vai preso por roubar descaradamente, por abuso de poder, nem por matar, ... Mas vai para a prisão quem ama demais.

Avozinha disse...

Muito bem, amiga, foi efectivamente o Rei Salomão, mas parece que os nossos juízes lêm muitos livros de leis!

Passei por aqui disse...

sabe-se que o pai adoptivo é militar de carreira, e o biológico, que faz?
terá as mesmas condições para educar a filha que até a pouco desconhecia.
E já que estamos em campanha de sim e não, já viram que se o sim tivesse trinta e muitos anos, a mãe do pai biológico talvez tivesse abortado, e ai o dinheiro e chatices que agora se vive.
Não ninguém para opinar; mas penso que mais vale um feto morto de que um aborto vivo que é o caso do tal que agora se lembra ser pai.

anjoedemonio disse...

passei para te dizer olá!

pai é quem cria, quem dá amor, quem está quando temos pesadelos e á noite chamamos..."pai, tenho medo!"