Lema de Vida:

Aprender até morrer, morrer sem nada saber!!

quinta-feira, junho 22, 2006

Contra-sensos

Uma das coisas que mais aprecio é falar com a minha mana mais nova, uma futura psicóloga com uma capacidade analítica extremamente elevada.
Digamos mesmo que é a minha terapia!!

Em conversa com ela sobre a avaliação dos professores pude constatar o contra-senso que invade a nossa sociedade.

Passo a explicar: a Miazinha sempre me chateou contra o facto de os meus testes serem grandes e difíceis, de eu exigir demais dos meus alunos. No entanto, questiona a dificuldade que as pessoas em geral têm em preencher um papel, em elaborar um documento, um trabalho qualquer da faculdade, por exemplo, questiona a quantidade de erros que um universitário dá ou até um professor universitário.

E é neste ponto que está o contra-senso. Então não é com exigência que nós combatemos a iliteracia? Não é com valorização dos melhores que somos competitivos? Não é com esforço que ultrapassamos as nossas dificuldades?

Estas ideias cirandam* pela nossa Sociedade mas esta continua a exigir que os professores não sejam tão exigentes, que se passem todos os alunos, que as retenções não aconteçam... A prova disto são as n reuniões de avaliação que os professores estão ou vão ter e a dificuldade que um Conselho de Turma tem para reprovar um aluno. Além disto, convém referir a quantidade de legislação que há no sentido de justificar a reprovação, não com a ausência de trabalho ou dificuldades de aprendizagens, mas sim com a motivação que o professor não terá feito, a individualização do ensino que o professor não fez, a dificuldade que o professor colocou na aprovação do aluno.
Assim não vamos lá!!
*cirandar - termo alentejano que significa circular.

7 comentários:

Professorinha disse...

E depois ainda vamos ter os Conselhos de Turma para os pais que vão meter recurso das notas dos filhinhos. Subidas de 3 para 4 e de 4 para 5 é o que costuma acontecer na minha escola. E andamos nós nisto.

Miguel Sousa disse...

primeiro, o rigoR e o dificil não têm que significar o mesmo (mas deviam);
segundo, podes fazer testes grandes dificeis mas acessíveis tendo em conta as capacidades dos alunos e a forma como desenvolvestes as competências dos mesmos. Assim e em bom rigor, este é um rigor BOM;
3º a iliteracia combate-se com níveis de dificuldades adequadas aos alunos...tu é que sabes o que fazes por isso, é normal que a mana esteja em desvantagem pois não está (ou pode não estar) ao corrente da forma como dás/explicas a matéria...

PORAA para as letrinhas

papoilasaltitante disse...

Mais uma vez cara colega e cyberamiga...100% de acordo contigo! Este facilitismo...
Sem comentários!
Bjs

IC disse...

Pois, Ana Cristina, assim não se vai lá, não... E concordo com o título da tua entrada.

Miazinha disse...

A parte de falar comigo ser uma terapia, devo dizer que me agradou bastante :P
quanto ao resto, infelizmente há coisas acerca da vossa revolta, motivos, razões, que a sociedade desconhece, daí a injustiça para convosco!

Anónimo disse...

pois é meter recurso porque os professores sao tao mauzinhos que nao ajudam os alunos em nada
nao se lembram que andaram a estudar?querem as notas para eles em vez de facilitar um pouco os alunos que merecem e se esforçam

MARIANA disse...

concordo plenamente, existem poucos professores que sao realmente bons e empenhados na educaçao mas muito poucos. a maior parte devia trabalhar
co campo.pois nao ajuda nada os alunos o que querem é o ordenado ao fim do mês.alguem concorda comigo?