Lema de Vida:

Aprender até morrer, morrer sem nada saber!!

sábado, agosto 26, 2006

Famílias

Às vezes, vejo que a minha educação é mesmo fruto dos meus pais e do quanto especiais eles são.
E, mesmo que eu não soubesse disso, vendo a diferença de pais que existem, ficaria grata pelos meus.

Como bons alentejanos, os meus pais ensinaram-me que, à mesa, há sempre lugar para mais um... que não se é malcriado para as visitas... que a sinceridade é uma coisa muito importante e que deve ser "exercida" sempre...

Fico triste quando vejo que nem toda a gente tem uns pais como os meus...
Fico triste quando, neste Algarve, não há lugar para mais um... mesmo que esse mais um seja família directa...
Fico triste quando não há respeito pelos valores da família...
Fico triste quando não há respeito por um filho... (pela nora já é hábito!)

E, depois, sorrio... e não sou sincera! (fico furiosa comigo mesma!)

3 comentários:

Professorinha disse...

É realmente muito triste quando as coisas são assim. Esse tipo de relações são muito complicadas quando as pessoas não fazem um esforço para que tudo corra bem. Depois quem sofre é quem não quer causar problemas mas não se sente bem com oque se está a passar à sua volta.

Maracujá disse...

Pressinto que conheço a situação de que falas. Aprendi que o segredo está em mudar a maneira como essas coisas tristes nos afectam. Mudar o modo como essas pessoas diferentes nos tocam. Ou seja, não permitir que as suas atitudes nos magoem a ponto de ficarmos furiosas connosco mesmas.

Beijinhos, um doce fim de semana.

P.S. - já te respondi nos comments do meu blog.

pa-ciencia disse...

Nada como os alentejanos! Mas por acaso gostei mt do tempo que vivi nos "algarves"... Beijinhos de Évora ;)