Lema de Vida:

Aprender até morrer, morrer sem nada saber!!

sexta-feira, novembro 17, 2006

Titular?


O post anterior é a cópia de algo que recebi por mail mas que reflecte uma cena a que já assisti na minha sala de professores.
Não pretendo voltar-me contra ninguém agora só porque alguém é mais velho não significa que é mais competente... Peço imensa desculpa mas não admito tal coisa! O que só vem acrescentar mais uma coisa com a qual não concordo no projecto do novo ECD.
Não é meu objectivo maltratar ninguém... não faz parte da minha Natureza, nem sequer é a mudança de casa que me levou à loucura, foi sim mais uma injustiça e a noção da realidade.
Estive numa escola há três anos onde a minha Delegada era a pessoa mais incompetente e falsa que conheci. Porquê? Porque mostrava ser a maior e a melhor no seu meio mas os seus telhados eram de vidro muito fino... tendo chegado ao cúmulo de me humilhar só porque eu lhe provei uma coisa em que ela estava mal... entre muitas outras que ela continua a asneirar. Esta senhora deu uma acção de formação que eu e a M. frequentámos no ano passado, e mais uma vez, mostrou a sua "maldade" tendo-se apoderado e dito seu material que estava assinado por outros. Ela será titular de acordo com o novo ECD!!
Não estou louca, não! Só não quero que a avaliação dos Professores seja feita assim! Quero que não haja patamares mas, se os houver, que sejam ocupados por professores competentes e não por basófias e baldas...
Nota: quem não gostou do post anterior, azar... É só uma das possíveis representações do que anda a acontecer nas nossas escolas. Não vale a pena fechar os olhos!

3 comentários:

Ramos disse...

Olá Ana

Venho cá a diário e te digo que estranho o dia em que para ti é dia de folga, percebes.
Não creio nas competências; mas respeito os conhecimentos.
Muitos da minha geração foram vitimas de competências, sendo estas geralmente acompanhadas de padrinhos. Há quem nasce para ser padrinho, os incompetentes, e outros para afilhados, por serem da mesma categoria.
Há muito que vejo a tua qualidade de liderança já varias vezes o mencionei; mas recordo-te que o verdadeiro líder não impõe nem se põe é imposto, reconhecido e só depois respeitado e reconhecido.
Vamos ao cerne.
O grande problema da classe de educação ou melhor dos professores, não começa nem acaba na Sr.ª Ministra.
Começa sim no Ministério do interior e da justiça passando pelo vosso comportamento individual e só depois se chega a Sr.ª Ministra.
Ninguém é bom seja em que for quando a falta de disciplina vincula ao seu redor.
Não há disciplina hoje nas escola situação protegida pelo ministério do interior e do da justiça, não existe respeito, nem muito menos reconhecimento.
A igualdade impera e ai esta o mal
A professora não é mãe dos alunos mas tem a mesma responsabilidade na educação dos mesmos. Para tal tem de impor o seu respeito perante eles. Mãe que não é respeitada sabe-se no que dá e nota-se os filhos que tem.
Voltando as avaliações, eu sou do tempo que na carreira militar os sargentos para atingirem a classe de oficias depois de longos anos de trabalho era-lhes exigido um exame psicotécnico as esposas, a fim de avaliar o nível social das mesmas para que não fossem manchar o grupo das senhoras dos senhores oficiais.
Hoje nem podem chegar a ser oficiais,
Porem como muitos no meu caso entravamos como oficiais por termos um diploma liceal ou uma matricula numa faculdade. Mas nem todos estávamos a altura de o ser.
Como exemplo digo-te há um pessoa de alta sociedade hoje em Portugal que foi meu instruendo, nunca consegui fazer nada dele mas por ser quem era e de onde vinha, foi graduado como Oficial Piloto Aviador, para não borrar o sistema social, mas que nunca lhe deram os comandos de algum avião. Em Angola voava uma lembrete a volta das sanzalas.
Limpem a vossa classe pois dentro dos milhares sem escola deve há ver quem seja mais competente do que muitos que estão ocupando o lugar e nada fazem e depois reivindicam o que quiserem, mas limpem primeiro

Diana Oliveira disse...

Estou ABSOLUTAMENTE de acordo consigo, só não penso que a caricatura em causa seja a melhor forma de dignificar os professores...que não sejam os próprios professores a dar "trunfos" à ministra e à população em geral para denegrir ainda mais a nossa imagem...e, já agora, parabéns, muitos e bons é o que se deseja.

joão moreira disse...

Antes de modificar o estatuto da carreira o governo deveria debruçar-se acerca do verdadeiro sentido da educação! Penalizar os funcionários que não têm o mínimo gosto para ensinar e premiar os que contribuem para tornar o ensino uma fonte de prazer, de tornar cada aluno uma pessoa responsável, porque o ser professor não se deve resumir a debitar aquilo que está nos programas do ministério mas também o acompanhar o aluno e informar os pais, sempre que necessário, acerca do comportamento dos filhos quando este não for o mais apropriado na escola, tornando-o um cidadão mais participativo e consciente!