Lema de Vida:

Aprender até morrer, morrer sem nada saber!!

segunda-feira, outubro 02, 2006

Comigo, portou-se bem!

Ao almoço, o assunto andou pelas aulas e pelos assuntos, como é costume. E falámos em alunos que se portam bem ou mal consoante o professor.
A frase "Mas comigo porta-se bem..." é criticada por uns mas é um facto para outros.
Falámos no S., mas podíamos falar no D., um dos meus alunos com NEE. Chocámos muito no início mas hoje consegui uma pequena vitória. Portou-se bem e estava compenetrado no seu papel de apresentador do trabalho de grupo. Elogiei-o e sorriu, no entanto não consegui que mantivesse aquela postura na aula toda, falhou somente nos últimos minutos.
Quando mostrei o meu receio por ficar com esta turma, disseram-me para não me preocupar que o D. "leva-se bem" mas tem que se ter paciência. Não tive logo de início essa paciência, obriguei-o a portar-se convenientemente e fui [e sou] exigente com ele. Ter NEE não significa ser mal-educado!!
Hoje posso dizer "Comigo porta-se bem!" mas e nos restantes dias??

9 comentários:

bell disse...

Um dia de cada vez. Alegra-te pelo dia de hoje, não vivas ensombrada pela incerteza do amanhã.

Penetrador disse...

Concordo com o ultimo comentario, um dia de cada vez. Cada dia será uma vitória. Ele, tal como tu, também tem dias menos bons e que não irá estar no seu melhor por mais que se esforce...é assim a vida.
Continua.
Beijocas

Ramos disse...

fora de contesto

X (nome fictício) quando tinha um ano falava como se já tivesse 9 ou 10 aos 5, além de ler e escrever em duas línguas, inglês e espanhol, conhecia as bandeiras de todos os países do mundo e seus presidentes, conhecia a história do Egipto e seus faraós, como catedrático em história antiga. A leitura é seu passa tempo. Hoje aos 13 anos entra numa das universidades mais conceituadas da Califórnia, onde Jorge de Sena era catedrático Universidade de Santa Barbara.
A minha pergunta, Se tivesse nascido em Portugal O Menino X, em que grau estaria hoje? Por sinal seria detectado por algum professor, ou seria mais um na classe?

taizinha disse...

Os miúdos comportam-se em função do professor que têm. É um facto! A mesma turma pode ter comportamentos diferentes com professores diferentes.

Resposta ao Ramos:
O menino Y (Português) aos 4 lia (não escrevia) e como andava numa escola particular começou a frequentar o 1º ano. Quando o quiseram inscrever no 7º ano de escolaridade a lei não deixava, não tinha idade. Exames, Psicólogos, etc. Andou por ali ilegal até se certificarem que de facto o miúdo "sabia umas coisas". Entrou em medicina (na escola civil e numa escola militar), mas o menino Y queria medicina nas Forças Armadas e mais uma vez não tinha idade. Passou todas as provas físicas e lá conseguiu autorização. Está no 2ºano. Vai ser um militar menino, um médico menino que ainda não pode tirar a carta de condução (porque ainda não tem idade). É um menino extraordinário que conseguiu sempre, porque é muito esperto, aproveitar o que a mininice lhe podia dar e o que a esperteza lhe proporcionava. É meu sobrinho e meu afilhado (mas a sobredotação é só dele ;)).
Beijo

anjoedemonio disse...

sofrer por antecipação é um dos nossos maiores erros!!!

fica bem!:))

Daniela Mann disse...

É por estas e por outras que a nossa profissão é tão nobre!
Beijinhos

Professorinha disse...

Tenho um aluno NEE que não me parece muito interessado em comportar-se mal nas aulas... nem em passar as coisas do quadro... nem em dizer coisas acertadas... no relatório do psicólogo diz que ele não deve ser retido... Que fazer com um aluno que não deve ser retido e não sabe o seu lugar na sociedade?

Barão da Tróia II disse...

São "ses" demais. As NEE, são muitas vezes conbertura para casos graves de indisciplina crónica, onde gente vinda de pseudo famílias, é largada na escola de truz, um professor só tem treino par isso para ser professor, os que têm, não deve nem pode ser psicólogo, psiquiatra, assistente social, pai, mãe, irmão, polícia.
Algo vai errado nesta escola que temos. Bom feriado

Jerónimo disse...

Olá Professora...

Penso que sei qual é o aluno D. a que se refere, pois quando li o artigo achei interessante e "familiar", se é que se pode dizer. Fui verificar ao caderno de Ciências e realmente estava lá no sumário: "Apresentação dos trabalhos de grupo". Em relação a esse assunto, acho que ele é um menino rebelde que não gosta da escola e por isso está contra tudo e contra todos. Mas como qualquer aluno, se se sentir cativado pela matéria, ou tiver actividades interessantes que se enquadram às necessidades dele, vai conseguir "agarrá-lo" e continuar a dizer "Comigo portou-se bem".