Lema de Vida:

Aprender até morrer, morrer sem nada saber!!

segunda-feira, maio 29, 2006

Pais e Professores

Não gosto dos moldes desta avaliação.

É óbvio para mim, enquanto professora, que o envolvimento dos pais no processo de avaliação dos professores é algo positivo, principalmente porque os envolve no processo de aprendizagem e educação do seu filho.

É óbvio que, se os critérios e os instrumentos forem muito bem definidos, os Pais nos vão avaliar bem... pelo menos consoante o nosso desempenho.

É óbvio também que não admito que essa avaliação seja inconsequente e "ao calhas, conforme as caras"...


Para já, qualquer avaliação é melhor do que aquela que temos no momento e por isso já me considero satisfeita, no entanto, exijo que se os pais nos avaliam, nós também tenhamos hipótese de avaliar o desempenho de um pai e chamá-lo à razão no sentido de melhorar a aprendizagem do seu educando.

Não sejamos hipócritas! Passamos a vida a querer envolver toda a comunidade escolar no processo de ensino-aprendizagem e agora só porque nos toca a nós recusamos a presença dos pais... Não me parece justo!!

Mas, volto a referir, tal como está definido na proposta apresentada no sábado, não gosto desta avaliação porque não me soa a justiça... Soa-me sim a interferências exteriores... a vontade de meter o bedelho onde não são chamados... a vontade de manipular... sobretudo a um doce que se está a dar aos papás para os calar!!

15 comentários:

Artur disse...

A questão da avaliação por parte dos pais não é uma de legitimidade - eles têm-na, nem de competência - também a têm. É uma questão de isenção.

Francis disse...

e quem fala assim não é gago...

bom dia.





wwglwxtp

Amélia disse...

...será que os réus passarão a avaliar os juízes? e os doentes os mádicos? e...e...e...
Sempre lutei para que houvesse avaliação do serviços -que os sindicatos, de um modo ou outro, sempre foram boicotando.Mas parece-me pura demagogia (e conlio nítido com a CONFAP o que vem no estatuto a este respeito:como directora de turma e professora(agora aposentada) só encontrei pais apoquentados com o mau desempenho dos filhos,outros com medo deles,quando alertados para aspectos comportamentais deles ou para a sua falta de assiduidade-assinavam justificações em branco- um ou outro dizendo mal dos professores e nenhum dizendo, afinal, se não haveria também alguns professores dos seus filhos bons;e...quem vai avaliar os Pais?Muitos só vinham à escola a pedido meu...
E quem vai avaliar os avaliadores?

Eu considero-me sem competência ,e não tenho problemas em assumir esta incompet~encia -para avaliar o trabalho de profissionais cuja formação e requisitos desconheço em absoluto...ou seja, de quase todos - porque aquilo que ignoro é, decididamente, mais do que aquilo que sei...

Professorinha disse...

A questão da avaliação por parte dos pais não passa pelo facto de ter ou não ter medo. Se os pais fossem justos, claro que não teria medo, acho que a avaliação tal como está também não é correcta. Como está dito no post acima, os réus não avaliam os juízes, nem os doentes avaliam os médicos... por que hão-de os pais avaliar-nos quando sabemos que a maioria das vezes o que eles querem é que os seus filhos tenham positiva. E como fica a nossa posição dentro da sala de aula? Entendes como ficará fragilizada? Como poderemos nós dizer aos alunos para estudarem ou terão negativa se essa negativa terá influência directa na nossa avaliação? É um processo cíclico e muito complicado.

Não me importo que venham avaliar o meu trabalho na minha sala de aula (nem que tenha que voltar aos dias de pesadelo que foram o meu estágio), não me importo ter que prestar provas dos meus conhecimentos, não me importo que venham certificar-se de que realmente trabalhei vendo os meus testes, as minhas fichas, as minhas planificações (planifico sempre num caderninho para cada nível que tenho, e adapto para cada turma, conforme as necessidades), não me importo que o CE venha ver o que faço. Agora, os pais estão directamente envolvidos com o processo de avaliação dos seus filhos, não podem nunca estar envolvidos com o processo de avaliação dos professores. Há, como já alguém disse, conflito de interesses.

pezinhos de cetim disse...

Não me preocupo nada com a avaliação de professores, desde que seja correcta e fidedigna. Mas a avaliação dos professores, por parte dos pais, não sei se será assim tão coerente... Será que conseguirão ser completamente imparciais? Ou serão levados por outros "valores"? Por ex., se existe um mau prof (não se preocupa com estratégias adequadas, até sumaria mas não dá a matéria, falta a maior parte do ano lectivo,... etc etc) mas até dá boas notas, será que os pais conseguirão distinguir isso? Ou como o educando até teve altas notas, a nota do prof também vai ser elevada?

Ou um professor que até se preocupa em utilizar as estratégias adequadas e que até é exigente, para bem dos alunos, será que, aos olhos dos pais, esse prof "implica com a turma"?

Concordo com a avaliação, mas nestes moldes tenho as minhas dúvidas... Temo que esta avaliação seja feita "pelas caras"...

IsaMar disse...

Olha o que eu digo...é que já não h´´a confiança no Ensino.
Não há confiança nos Professores...
E discordo com estas medidas...desculpa a minha oposição...mas ficaremos mais fragilizados.
Já não temos poder para nada...nem de ter uma voz mais alta...nem de tocar numa criança...etc...
O que somos afinal?

desculpa....fica bem

Miguel Sousa disse...

discordo contigo..acho que esta é pior do que a outra, porque é desonesta. Se não te conhecesse o suficiente também via alguma hipocrisia tua (claro que não vejo) com essa de que temos que avaliar os pais. Claro que ~tenho o direito de não querer ser avaliado por um pai com a quarta classe, claro que não estou disponivel para isso. Por seu teu Amigo, deixa-me que te diga que não entendi onde querias chegar. De certeza que a culpa é da minha cabelça limitada.

Miguel disse...

Concordo inteiramente contigo. No que se refere à intervenção dos pais na avaliação do desempenho dos professores, não basta haver referências aos direitos dos pais e esquecer os seus deveres, pelo que só faria sentido a intervenção dos pais neste processo desde que o nível de exigência de todos os intervenientes no processo fosse elevado: paa docentes, pais e alunos...
Não me repugna nada que pais que têm uma intervenção actuante na escola, que são interessados e responsáveis possam dar a sua opinião sobre a escola...
Mas, como sempre os sindicatos só sabem reclamar pela pior das razões!!! Infelizmente!

IC disse...

Com a concentração que houve no Aragem e com o "mau humor" com que ando, tenho feito poucas visitas, vim só deixar-te um olá :)

papoilasaltitante disse...

Eu concordo com o Miguel os sindicatos têm dado uma pésssima imagem do pessoal docente.
Há que pensar e agir antes de tmepo apresentando propostascoerentes que antecipem estas tiradas brilhantes por parte do governo. Em vez de lutarem argumentando coerentemente, não ...dõ a ideia que isto tudo passa pela perca de uns direitos adquiridos que eram privilégio de uma classe que não as quer perder!!!
Não tenham dúvidas que são uns dos grandes responsáveis pela má imagem que a classe docente tem junto da opinião pública!
Quanto ao resto, eu sempre fui uma defensora da correcta e efectiva avaliação da classe doecente, é preciso é fazer essa avaliação de uma forma justa e imparcial. Com os E. E. que temos não sei se tal será possivel.
Além disso o que mais me choca são as palavras de ontem da ministra. Porque todos reconhecemos que há maus profissionais, todos nós temos exemplos destes nas escolas, mas eu sinto-me ofendida queando a Srª mete tudo no mesmo saco!
Bjs entristecidos
:(

Delfim Peixoto disse...

Eu sõ quero que " nos deixem trabalhar"!
Concordo contigo e espero que os professores se unam de uma vez por todas

Ofélia disse...

Penso que os Pais e Encarregados de Educação informados, sabem que já podem ser bastante interventivos na educação dos seus filhos, nomeadamente,
-cada turma tem um representante dos pais e Encarregados de Educação, que pode estar presente em reuniões de conselho de turma e conselhos de turma disciplinares, e estar em contacto permanente com os pais e o Director de Turma;
- estão representados na Assembleia de Escola;
-estão representados no conselho pedagógico...

Ofélia disse...

- podem apresentar recursos de notas, sempre que o considerarem;
-podem apresentar o caso às direcções regionais.
Ora, todos os problemas dos filhos ficam registados em documentos oficiais da escola, analisados pelos coordenadores dos Directores de turma, que levam a pedagógico, para os mesmos serem analisados e dicutidos.
Deveriam ser essas as questões levantadas pelos pais, depois de devidamente analisadas que já são um reflexo do trabalho do professor, que a comissão de avaliação deveria ter em causa. Quanto à justiça, de qualquer método de avaliação...Tenho muitas dúvidas do seu rigor. No entanto é justo tentar sacudir os parasitas deste sistema, que só nos envergonham e mancha mais ainda a nossa imagem. Beijinhos Ana.

J. Rodrigues disse...

Alguém anda a brincar com as fichas...
A grande vantagem da avaliação é para quem é avaliado. Só desta forma se consegue sair desta caixa com o rótulo "incompetentes" que engloba neste momento todos os professores. Eu sei que nem todos o são, mas os que são bons valerá mesmo a pena serem-no se no final não ganham nada com isso. Não será que muitos dos Maus professores da nossa praça não foram já excelentes professores que se desanimaram com a forma que veem seus pares chegarem terem exactamente as mesmas vantagens mesmo não sendo tão bons?
E a solução?
A Solução é o que agora é tratado como sendo o problema: Uma avaliação Justa, Contínua e Rigorosa.

Velveteen disse...

Concordo com uma avaliação, mas feita em moldes claros e justos. Como é que alguém pode conscientemente avaliar outra pessoa se não participa directamente no desempenho da sua actividade? Parece-me que esta alteração ao ECD é mais uma vingançazinha que outra coisa. Todas as alterações feitas nos últimos anos só têm prejudicado o nível da qualidade de ensino. Os nossos governantezecos é que parece não vêm para além do brilho das leis que no papel parecem tão bonitinhas!