Lema de Vida:

Aprender até morrer, morrer sem nada saber!!

segunda-feira, janeiro 09, 2006

Relação professores-professores


Nas escolas por onde tenho passado, o ambiente entre professores foi muito diverso... Desde uma escola no Algarve onde o ambiente era tão frio que no Pólo Norte a temperatura era superior até à escola onde estou actualmente onde tive o prazer de ter um grupinho de amigos, principalmente uma Moura, apreciadora de fotografia e dança do ventre! :D

No Algarve, existiam mesas e cadeirões marcados para esta prof. ou para aquela. Na secretaria, uma vez, fui atendida depois (apesar de refilar) porque aquela senhora era professora e eu não, era só contratada...

Estive a leccionar na escola onde estudei até ao 11ºano e foi das piores escolas onde já estive... Claro que sei que "Santos da casa não fazem milagres" mas também não era preciso ser tão brutais no ambiente. Confesso que ter professores meus como colegas foi um pouco embaraçoso mas é a lei da vida... e se eles me tivessem recebido de braços abertos teria sido impecável... mas eles fecharam os braços!!!

10 comentários:

mourisca disse...

Querida amiga sera que essa tal "Moura" sou eu? Pois eu tambem ja passei por mts escolas diferentes em varios niveis. A nivel de amizades nao me posso queixar, pois por onde tenho passado tenho feito algumas grandes amizades (do coraçao mesmo). Entao de ano para ano o meu coraçao vai ficando cada vez mais cheio. Incrivel é que sobra sempre espaço para mais alguem :D
Nunca me esquecerei da forma como me recebeste nesta escola e de todo o apoio e disponibilidade que sempre manifestaste.

Ja estive numa escola que para entrar "no grupo" houve bastante suor da minha parte, em que o pessoal "da casa" parece que tinha prazer em ver os "estranhos" fora do grupo. Mas consegui dar a volta e ate me dei bem...

Do que realmente nao gostei em algumas escolas foi dos orgaos de gestao. Nao percebo mt bem certas atitudes, mas parece que de repende ficam com o "rei na barriga" e orgulhosos por estarem num cargo de chefia, fazendo o que bem lhes apetece sem do nem piedade. Nao estou a exagerar nas palavras pq ja estive numa escola em que o pres do CE sentia orgulho em maltratar os profs, talvez para esconder a sua enorme incompetencia. Essa pessoa andava doido para por um processo disciplinar em algum prof. Qd arranjou um pretexto para isso (sem algum fundamento) disse simplesmente que era para servir de ex para os outros...

De qualquer maneira a minha curta experiencia na profissao mostra-me sempre alguns aspectos que nos aquecem o coraçao (apesar daquele "fel" que todos os anos nos deixa mal dispostos e com vontade de desistir): as criaturas (forma carinhosa como trato os meus meninos ih ih) e alguns colegas (que dp se tornam amigos)...

A ti minha amiga, muito obrigada pela recepçao nesta escola...

Beijos

mourisca disse...

PS: O meu agradecimento para ti nao é so para a recepçao na escola mas por mt mais...
Mas prometo que fico por aki, nao vou aumentar o pequeno comentario anterior... :D

Miguel disse...

Ainda não tive a oportunidade de ter como colega um antigo professor meu, nem sei se tal virá a acontecer. Mas até que gostaria de ver a reacção (de ambos)...
Mas, de facto, cada vez mais me convenço que somos a classe profissional mais dividida que existe...

EL MONO disse...

Mourisca (que raio de nome),
Não existe aquilo a que muitos chamam relação professores-professores, porque o maior inimigo do professor é o professor. Isso verifica-se quando as coisas dão para o torto ou, tão simplesmente, quando é preciso lutar pelos direitos e os docentes jamais se unem. Falemos, antes, de uma necessidade de socializar que todos os seres humanos têm, até os professores, e que os "liga" um pouco mais. Beijos, EL MONO

ademiurga disse...

Concordo na íntegra com o el mono (este sim, que raio de nome!!!). Na verdade dou aulas numa escola há 11 anos e ainda não tenho nenhum(a) amigo(a) dos tais, dos do peito. Professor-professor? Só se for para cortar na casaca depois de usar os materiais que tão bem sabemos fazer...

Ramos disse...

Sem querer melindrar ninguém não posso deixar de dizer que ser professor é uma profissão de sacrifício, quem assim não o vê não tem o tal espírito de ensinar
Ensinar não é mais nem menos que compartir conhecimentos.
Que querem os profos quando os alunos vêm que entre a classe são os próprios professores que entre si vivem, como animais de diferentes espécies em jaula comum?
Não se falam entre si, e são muito capazes de falar uns dos outros aos próprios alunos com adjectivos depreciativos
Em Moçambique fui obrigado a ser prof. Substituto do que então se chamava liceu, pois era tempo de guerra e ninguém queria ir para Africa
Tudo o que sei, foi aprendendo quando ensinava; Mas o mais importante que aprendi foi: Quando não se gosta de algo tudo o que estiver a sua volta nos aborrece. A maioria das pessoas que tem um vencimento como docente o único que têm mesmo é o ordenado, o espírito não anda pelas salas de aulas quanto mais entre os colegas
Em fim ser professor e ter de viver a olhar para baixo, pois os alunos além de estarem sentados normalmente estão num nível inferior e ter de conviver com quem não merece o titulo upssss esta mesmo difícil

Penetrador disse...

Como se costuma dizer...ossos do oficio eheh.
Beijocas

zoltrix disse...

interessante este teu blogue. Parabéns! Agora sobre o tema, só te posso dizer que é assim exactamente como o dizes. Tb já me aconteceu o mesmo em muitas ( Todas..) as escolas. Raros são os colegas que têm alma e valor humanos....
Mas deixa, não somos profes por causa deles pois não?
E não te irrites tanto com os testes....

fr disse...

Esta questão da relação entre professores é, de facto, complexa.
Concordo que o pior inimigo do professor são os professores.
Felizmente fiz amigos em muitas das escolas por onde passei, e foram só 10, em dez anos...
Agora, que estou na mesma escola há mais de dez anos, não posso dizer que tenha um amigo na escola.
Já assumi que prefiro não ter, depois de várias tentativas fracassadas e de traições sucessivas.
Conheço quase todos, as suas virtudes e defeitos, profissionais, que os pessoais não me interessam nada.
Trabalho com quem quer trabalhar e tenho o mínimo contacto possível com os outros.
Mas uma coisa garanto: dou o melhor acolhimento e apoio pessoal e profisional aos novos professores que chegam à Escola ano a ano.
No entanto, pela minha experiência, alguns deles também não se dão muito a conhecer. Alguns parecem estar ali para passar mais um ano, pelo que, quando é assim, não há muito contacto...

Anónimo disse...

Existem locais de trabalho onde o sarcasmo impera. Quando existem conflitos ou não se aceita alguém, as pessoas, no lugar de serem civilizadas e honestas, procuram montar intrigas e provocar confusões nas "costas" da pessoa que querem tramar. Tentam isolá-la de modo a que a vítima se sinta sozinha e, se for preciso, envolvem os alunos nestes esquemas. Claro que os mentores destas confusões realizam tudo de uma forma velada visto que não querem que haja provas para ficarem mal. Ora os professores são uma classe muito desunida e, quando se sentem pressionados, lixam o colega no lugar de se unirem...